12 janeiro, 2007

Gueto dos Amigos II

Atualizando o Gueto dos Amigos...
Uma pessoa deveras especial. Se eu for contar aqui todas as histórias que ja passamos juntos, vai cansar meus dedos e não lembro de todas, mas a melhor é aquela que começa assim:
... no princípio era apenas amizade, tchananananananannnnnnnnn.... ta namorandô! tá namorandô!!! Agora hein... quem diria que chegaríamos a tanto. Faz parte! De amigo à namorido.

Teve aquela... estávamos nós apresentando uma peça de teatro no encontro de conversão de jovens na igreja (é... acredite se quiser no meu passado não tão distante consta isso), daí que eu era a Madame Kiki, Nelson era o He-man, Magal o Gato-guerreiro, Brenda a Batgirl. Em resumo a peça falava duma dona que chegava em casa e tinha um mendigo na porta dela, daí ela chamava alguns super-heróis para ajuda a tirar o dito cujo de lá (porque simplesmente não chamava a polícia? porque aí não ia ter a graça que tinha, principalmente nos nossos ensaios... eram tempos legais... ríamos horrores... piadas que só nós entendiamos, mas tudo bem, voltando...), daí que a madame falava no melhor estilo novela mexicana: Ohhh e agora quem poderá me ajudar?!?!?!?!?!?! - Eu!!!! Chapolim Colorado!!! - Você não! Saí que vc é super-herói de xicano pobre!!!! Oohhh e agora quem poderá me ajudar?!?!?!?!
Daí entrava cada um dos heróis, cada um tinha sua fala e tals... enfim chegava a hora do He-man entrar, pense em um negão de 2m² vestindo um shortinho roxo, usando uma espada de plástico, uma peruca loira liza, puxando um outro negão, esse um pouco menor, usando um maiô de oncinha, engateando como um "gato guerreiro", enfim, cena totalmente dantesca, mas aí.... conversa vai conversa vem, la pras tantas chega a hora de transformar o pacato em gato guerreiro, eis que o tal cai no chão estribuchando, se tremendo e babando, enquanto o He-man aponta a espada pra ele (altos efeitos especiais), daí... quando todos achavam que a cena tinha acabado, o cara continua la no chão estribuchando, nosso He-man não acha o que fazer e da-lhe uma chapoletada (daquelas de estralar alto e doer de verdade) com a espada nas costas do indivíduo: - Levanta daí nêgo miserável, que tu agora é pai de família!!!!! (de fato ele tinha sido pai recentemente e xilap nele).
A essa altura eu que ja estava me matando de rir da marmota saltando no chão de maiô de oncinha, quando ele tomou a espadada foi a gota que faltava (literalmente), me mijei toda de tanto rir. Por sorte eu tava do lado do banheiro, daí corri pra lá, é claro, tirei a meia calça amarelo ovo que eu tava usando e voltei pra cena, com o sapato de camurça vermelho cheio de pinguinhos de xixi. Um espetáculo.
Voltei. Nelson, o He-man em questão, irmão e filho amado, hoje meu esposo, pai de meu filho, não acha o que fazer e solta: Ué madame!?!?!? A Sra não tava de meia calça??? O que aconteceu???
Eu, vermelha, sem graça de todas as maneiras possíveis, dou uma risadinha amarela, quando a Batgirl emenda: Ela fez xixi na roupa (falando pra toda a platéia que até o momento não tinha se dado conta do ocorrido).
Bom... muito bom... passei o resto do encontro com a alcunha de mijona, com direito a côro no final do encontro. Mijona! Mijona!

Tudo bem... coisas do meu passado sórdido... inclusive uma das coisas que sinto saudades, pois foi uma época muito divertida. Damos risadas disso até hj.

Amor... apesar de ter te visto vestido de he-man, ter visto vc na "guerra", ter visto vc "daquele modelo" por diversas vezes, por incrível que pareça eu quis e, por mais incrivel ainda, não me arrependo. Te lovisu.

2 comentários:

Nelson disse...

Bons tempos... Bem, obrigado pela lembrança! Ri muito enquanto lia seu post e daí que é legal a gente se lembrar dessas coisas e ver que nossas vidas estão há muito tempo juntas. É bom ter você como companheira, amiga, namorada, esposa, co-pilota, mãe (não necessariamente nesta ordem)... Enfim, mulher linda que amo tanto.
Beijos,
n!

Luiz Cláudio disse...

Não vale chorar!!