03 dezembro, 2007

e-mails que me fizeram feliz

Eu queria ter um monte de frases feitas e eficazes pra dizer que te amo.
Queria ter explicações convincentes pra minhas faltas e falhas.
Queria ter sorrisos de bom dia Dos mais variados pra te agradar e te deixar feliz logo de manhã cedinho.
Eu queria que ter palavras certas pra mostrar que sempre te compreendo.
Queria ter litros e mais litros de lágrimas pra poder chorar com você quando não pudesse salvar o dia.
Queria ter um colo bem gostoso, Só pra embalar seus sonhos.
Eu queria ter uma câmara secreta e mágica pra ficar filmando bem de pertinho seu sorriso de sonho bom.
Queria ter mãos calmas pra te acordar sem te assustar.
Queria gravar seus sorriso pra me fazer feliz quando estivesse triste E poder te ver sorrindo quando você estivesse chateada com algo. Só pra lembrar como é.
Eu queria ser um super-herói pra te livrar das garras do mau.
Queria ser invisivel pra ficar te olhando horas e mais horas sem que você pudesse perceber.
Queria ter uma bolsa mágica pra guardar tudo de mais belo que vi, que vejo e que verei na minha vida. Só pra poder te mostrar, compartilhar com você.
Eu queria poder fazer o sol ficar brilhando em ângulos que fizessem seus olhos ficarem cor-de-mel pra sempre.
Queria eu ser dotado de super-poderes-especiais pra poder tirar de dentro do seu coração toda dor, toda tristeza.
Queria ser certinho, fazer tudo certinho, pra nunca te ver triste. Só pra eu não sofrer e não ficar triste também.
Eu queria ser a música que você mais gosta, uma que mesmo sendo repetida infinitamente você nunca enjoasse.
Queria ser como o silêncio que te traz paz.
Queria ser como o vento que te refresca, o calor que te esquenta. Qualquer coisa que te traga alívio.
Queria ficar pra sempre abraçando seu corpo suado. Sentindo o seu coração batendo forte, bem junto do meu...
Queria só dizer que te amo. Muito.
n!nc2m

Sobre a morte e o morrer - por Rubem Alves

O que é vida? Mais precisamente, o que é a vida de
um ser humano? O que e quem a define?



Já tive medo da morte. Hoje não tenho mais. O que sinto é uma enorme tristeza. Concordo com Mário Quintana: "Morrer, que me importa? (...) O diabo é deixar de viver." A vida é tão boa! Não quero ir embora...

Eram 6h. Minha filha me acordou. Ela tinha três anos. Fez-me então a pergunta que eu nunca imaginara: "Papai, quando você morrer, você vai sentir saudades?". Emudeci. Não sabia o que dizer. Ela entendeu e veio em meu socorro: "Não chore, que eu vou te abraçar..." Ela, menina de três anos, sabia que a morte é onde mora a saudade.

Cecília Meireles sentia algo parecido: "E eu fico a imaginar se depois de muito navegar a algum lugar enfim se chega... O que será, talvez, até mais triste. Nem barcas, nem gaivotas. Apenas sobre humanas companhias... Com que tristeza o horizonte avisto, aproximado e sem recurso. Que pena a vida ser só isto...”

Da. Clara era uma velhinha de 95 anos, lá em Minas. Vivia uma religiosidade mansa, sem culpas ou medos. Na cama, cega, a filha lhe lia a Bíblia. De repente, ela fez um gesto, interrompendo a leitura. O que ela tinha a dizer era infinitamente mais importante. "Minha filha, sei que minha hora está chegando... Mas, que pena! A vida é tão boa...”

Mas tenho muito medo do morrer. O morrer pode vir acompanhado de dores, humilhações, aparelhos e tubos enfiados no meu corpo, contra a minha vontade, sem que eu nada possa fazer, porque já não sou mais dono de mim mesmo; solidão, ninguém tem coragem ou palavras para, de mãos dadas comigo, falar sobre a minha morte, medo de que a passagem seja demorada. Bom seria se, depois de anunciada, ela acontecesse de forma mansa e sem dores, longe dos hospitais, em meio às pessoas que se ama, em meio a visões de beleza.

Mas a medicina não entende. Um amigo contou-me dos últimos dias do seu pai, já bem velho. As dores eram terríveis. Era-lhe insuportável a visão do sofrimento do pai. Dirigiu-se, então, ao médico: "O senhor não poderia aumentar a dose dos analgésicos, para que meu pai não sofra?". O médico olhou-o com olhar severo e disse: "O senhor está sugerindo que eu pratique a eutanásia?".

Há dores que fazem sentido, como as dores do parto: uma vida nova está nascendo. Mas há dores que não fazem sentido nenhum. Seu velho pai morreu sofrendo uma dor inútil. Qual foi o ganho humano? Que eu saiba, apenas a consciência apaziguada do médico, que dormiu em paz por haver feito aquilo que o costume mandava; costume a que freqüentemente se dá o nome de ética.

Um outro velhinho querido, 92 anos, cego, surdo, todos os esfíncteres sem controle, numa cama -de repente um acontecimento feliz! O coração parou. Ah, com certeza fora o seu anjo da guarda, que assim punha um fim à sua miséria! Mas o médico, movido pelos automatismos costumeiros, apressou-se a cumprir seu dever: debruçou-se sobre o velhinho e o fez respirar de novo. Sofreu inutilmente por mais dois dias antes de tocar de novo o acorde final.

Dir-me-ão que é dever dos médicos fazer todo o possível para que a vida continue. Eu também, da minha forma, luto pela vida. A literatura tem o poder de ressuscitar os mortos. Aprendi com Albert Schweitzer que a "reverência pela vida" é o supremo princípio ético do amor. Mas o que é vida? Mais precisamente, o que é a vida de um ser humano? O que e quem a define? O coração que continua a bater num corpo aparentemente morto? Ou serão os ziguezagues nos vídeos dos monitores, que indicam a presença de ondas cerebrais?

Confesso que, na minha experiência de ser humano, nunca me encontrei com a vida sob a forma de batidas de coração ou ondas cerebrais. A vida humana não se define biologicamente. Permanecemos humanos enquanto existe em nós a esperança da beleza e da alegria. Morta a possibilidade de sentir alegria ou gozar a beleza, o corpo se transforma numa casca de cigarra vazia.

Muitos dos chamados "recursos heróicos" para manter vivo um paciente são, do meu ponto de vista, uma violência ao princípio da "reverência pela vida". Porque, se os médicos dessem ouvidos ao pedido que a vida está fazendo, eles a ouviriam dizer: "Liberta-me".

Comovi-me com o drama do jovem francês Vincent Humbert, de 22 anos, há três anos cego, surdo, mudo, tetraplégico, vítima de um acidente automobilístico. Comunicava-se por meio do único dedo que podia movimentar. E foi assim que escreveu um livro em que dizia: "Morri em 24 de setembro de 2000. Desde aquele dia, eu não vivo. Fazem-me viver. Para quem, para que, eu não sei...". Implorava que lhe dessem o direito de morrer. Como as autoridades, movidas pelo costume e pelas leis, se recusassem, sua mãe realizou seu desejo. A morte o libertou do sofrimento.

Dizem as escrituras sagradas: "Para tudo há o seu tempo. Há tempo para nascer e tempo para morrer". A morte e a vida não são contrárias. São irmãs. A "reverência pela vida" exige que sejamos sábios para permitir que a morte chegue quando a vida deseja ir. Cheguei a sugerir uma nova especialidade médica, simétrica à obstetrícia: a "morienterapia", o cuidado com os que estão morrendo. A missão da morienterapia seria cuidar da vida que se prepara para partir. Cuidar para que ela seja mansa, sem dores e cercada de amigos, longe de UTIs. Já encontrei a padroeira para essa nova especialidade: a "Pietà" de Michelangelo, com o Cristo morto nos seus braços. Nos braços daquela mãe o morrer deixa de causar medo.


Texto publicado no jornal “Folha de São Paulo”, Caderno “Sinapse” do dia 12-10-03. fls 3.

(suspiro)

Vida que segue!

mais um pra coleção

Mais um episódio funesto em que eu não consegui (consigo) expressar em palavras dizíveis o que estou sentindo.
Talvez nem todos os palavrões do mundo, em todas as línguas do mundo, dialetos do mundo ou mesmo pensamentos telepatas do mundo, seriam capazes de expressar a indignação que se instaura em minh'alma.
É notório que sou uma pessoa de temperamento absurdamente explosivo (entretanto, não com a pessoa certa, na hora certa - será isso uma qualidade??? Talvez seja, senão eu teria tido o desprazer de saber as consequências que podem ser acarretadas a partir de palavras mal ditas ou serão malditas???). Em geral explodo e demostro todo o ódio que impera no meu ser apenas para os meus amigos, quando estou contando o ocorrido. Coitados! Mas amigo é pra essas coisas. Tem mais é que escutar mesmo. Então eu devia ser definida como alguem explosivacontida. Existe isso?
Enfim... desconfio que estou criando um CA (entenderam né?!?! sou do tempo que não se devia pronunciar essa palavra... hahahahahahahaha... influência dos meus avós) bem no meio do meu estrombo de tanto mastigar e engolir coisas que me fazem mal profundamente. Nem pra isso minha bulimia serve, pra me fazer vomitar essa coisa ruim que se instaura em mim numa verborragia sem fim até que tudo fique calmo e complacente como deve ser.
Por hora... apenas consigo pensar em quanto eu receberia de rescisão se pedisse demissão. Ou ainda, será que vale a pena eu tocar o terror, subir e sapatear em cima da mesa e aloprar com todos os cretinos transeuntes, pra assim ser demitida e receber a multa do fgts? Se bem que aí eu seria demitida com justa causa e não teria multa nem fgts nenhum... e agora?!?!? Preciso pensar em outra forma de fazer com que dê certo.
ai ai (suspiro)
É mais um que vai pra minha coleção...

29 novembro, 2007

tanto tempo...

Depois de muito tempo resolvi postar novamente pq achei em outro blog um post que sintetizava exatamente a mesma coisa que eu penso a respeito do assunto que ele trata. Daí que eu resolvi copiar/colar o post alheio pq com certeza eu não conseguiria expressar tão bem e com as palavras exatas o sentimento que carrego em meu singelo e meigo coraçãozinho. Sendo assim, aí vai o post alheio sobre...

Bom dia, meu nome é antipática

Odeio quando ligam lá pro trabalho e começam assim:

- Bom dia, com quem eu falo?

Ah, saco. Como assim com quem você fala? Sei que a minha obrigação é responder. Mas dependendo do estado do meu humor (que geralmente oscila entre as categorias “levemente ruim”, “ruim”, “hoje tá ruim mesmo” e “TPM”) isso me irrita, sabe? Porque não interessa com quem a pessoa está falando. Interessa o que ela quer (diz rápido, caralha, não faz suspense que se for pra mim vou querer saber logo qual é a pica voadora) porque aí vou resolver ou passar para o funcionário que deve atender. Tão mais simples. Mas “com quem eu falo” me faz dizer meu nome e geralmente a pessoa do outro lado me explica uma história muito mais comprida (agora que ela me conhece e é minha amiga, fica mais à vontade pra contar todos os detalhes que eu não quero saber) e até ela parar pra respirar e eu poder dizer que não é comigo já perdi, o quê? Uns 30 segundos da minha hora, que é tão cara. Acho bacanérrimo dizer que a hora é cara. A minha sempre é cara. Porque eu gosto muito da minha hora.



Ps: os créditos do post vão para http://vidabizarra.blogspot.com/

11 outubro, 2007

Esperando Aviões

Meus olhos te viram triste
Olhando pro infinito
Tentando ouvir o som do próprio grito
E o louco que ainda me resta
Só quis te levar pra festa
Você me amou de um jeito tão aflito


Que eu queria poder te dizer sem palavras
Eu queria poder te cantar sem canções
Eu queria viver morrendo em sua teia
Seu sangue correndo em minha veia
Seu cheiro morando em meus pulmões

Cada dia que passo sem sua presença
Sou um presidiário cumprindo sentença
Sou um velho diário perdido na areia
Esperando que você me leia
Sou hangar vazio esperando aviões

Sou o lamento no canto da sereia
Esperando o naufrágio das embarcações.


Vander Lee

19 julho, 2007

versão simpsonizada


Em ritmo de férias... (faltam apenas 2 dias - hj e amanhã)
Assinatura da sky OK
Pagamento de dívidas +/- OK
Programação de viagens e passeios NÃO OK

11 julho, 2007

Faaaallltammm

Bem amigos da Rede Globo, agora está mais perto, haaaaaaaaaaaaaja coração.... faaaaalllltam 9 dias, eu disse 9 dias, para minhas férias...
um longo ano foi necessário para chegarmos nesse momento de glória... dormir ate as 11h por mais de 2 dias seguidos... inimaginável nos sonhos mais longínquos...
Nem vou viajar que é pra não me sentir na obrigação de ter que sair, conhecer lugares legais, ir a restaurantes diferentes, passear à toa com a família, por isso vou ficar em casa, mas é só por isso viu!
Ferias = menos dívidas
verdade ou mentira?!?!?! Acredite se quiser!!!

29 junho, 2007

Papai eu quero me casar...

Essa é dos bons tempos!! Será que tem o vídeo no youtube?

n!

Os Trapalhões - Papai Eu Quero Me Casar
Didi E Zacarias


Papai eu quero me casar
Pois minha filha ocê diga com quem
Eu quero me casar com o padeiro
Com o padeiro ocê não casa bem
Porquê papai?
O padeiro mete muito a mão na massa e depois vai
amassar ocê também
Ah quero não

Papai eu quero me casar
Pois minha filha ocê diga com quem
Eu quero me casar com o motorista
Com o motorista ocê não casa bem
Porquê papai?
O motorista aperta muito a buzina e depois vai
buzinar ocê também
Ah quero não

Papai eu quero me casar
Pois minha filha ocê diga com quem
Eu quero me casar com o vaqueiro
Com o vaqueiro ocê não casa bem
Porquê papai?
O vaqueiro tira o leite da vaca e depois vai
desleistar ocê também
Ah quero não

Papai eu quero me casar
Pois minha filha ocê diga com quem
Eu quero me casar com o economista
Com o economista ocê não casa bem
Por quê papai?
O economista mexe muito com poupança e depois vai
mexe na sua também
Na minha não

Papai eu quero me casar
Pois minha filha ocê diga com quem
Eu quero me casar com o Ney Matogrosso
Ney matogrosso aí se casa bem
Heim papai
Ney Matogrosso vira homem lobisomem
Que loucura
Mas quando é homem não faz mal pra ninguém

25 junho, 2007

... ites

Aí que chega o final de semana e a pessoa toda serelepe achando que vai poder fazer um montão de coisas legais como ir ao salão de beleza e dar uma guaribada geral, levar o filho pra passear no parque aproveitando o solzão maravilhoso, sair com o maridão e na volta fazer sequiçô loucamente... RA RA RA... lêdo engano bobinhos, pensa que alguma dessas coisas aconteceu??
Pra não ser de toda injusta fui ao salão fazer o basicão pra uma possivel saída com o maridão, but, nada corre como planejado e a pessoa adoece de um minuto para o outro e fica prostrada todo o final de semana, chegando ao cúmulo de conseguir levantar da cama as 21:15h do domingo, pra poder fazer um cuzcuz com leite e voltar pra dormir totalmente acabada (olheiras são para os fracos, ja atingi um estado infinitamente além).
Viva a gripe, a sinusite e todos os ites inerentes a esse clima maldito de Brasilia.

14 junho, 2007

Minutos de sabedoria

Gotas de sabedoria
‘A gente vem ao mundo com as trepadas contadas, e as que não se usam, por qualquer motivo, próprio ou alheio, voluntário ou forçado, se perderão para sempre’
Gabriel Garcia Marques, em Amor nos tempos do cólera

Ou como diria uma amiga minha ‘foda adiada é foda perdida’

11 junho, 2007

Para alguns...

"A covardia, de todas as peculiaridades humanas, é uma das mais feias. Ser covarde é mostrar um defeito corporal e anímico. Não existe alma covarde sem corpo idem porque, segundo a genial definição de Spinoza, “a alma é metáfora do corpo, não o corpo metáfora da alma”. Matar alguém, aprendeu a humanidade desde sempre, é feio. Pior é cometer assassinato com emboscada ou faca nas costas. Numa briga entre homens, dar pontapés nas partes situadas na região baixa do organismo é muito feio. Daí a expressão “golpe baixo” para designar a vitória sem méritos. Em todos os setores da cultura, existem lances dignos ou golpes baixos: no jogo, se alguém usa cartas marcadas; na vida amorosa, quando uma pessoa finge ser amiga do casal, mas levanta suspeitas infundadas e rumores; na prática universitária, os trombadinhas do intelecto sugam trabalhos alheios com plágios; etc. Um elemento universal em todos esses casos particulares: o ato que não segue a ética e as regras estabelecidas produz asco."

Pra entrar no clima...

Clima de de Dia dos Namorados... todos com as mãos pra cima de um lado para o outro, no ritmo, laiá laiá

Eu sei e você sabe
Já que a vida quis assim,
Que nada neste mundo
Levará você de mim...
Eu sei e você sabe
Que a distância não existe,
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste,
Por isso meu amor
Não tenha medo de sofrer,
Pois todos os caminhos
Me encaminham pra você...
Assim como o oceano
Só é belo com o luar;
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar;
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover;
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer;
Assim como viver
Sem ter amor, não é viver;
Não há você sem mim,
Eu não existo sem você!

06 junho, 2007

Esclarecimentos

Pra quem não conhece o Maskate, é um site comédia que tem em Manaus, a melhor parte disparado são os boletins de ocorrência. Vale a conferida.

huuuummmmm

E ontem eu tava lendo o site "maskate" quando me deparo com um relato ou será depoimento, testemunho, qualquer coisa assim, sobre uma dona que traiu o marido com o chefe e contou tudinho (com direito a detalhes sórdidos e tudo) na internet, e complementa com um "acho que ele desconfia".
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk faz-me rir!!!!!
O corno é sempre o último a saber, ou será que essa dona acredita mesmo que alguém acredita nessa lorota que ela contou e classificou como contos eróricos, ora faça-me o favor....

ps: agora quando alguém procurar por contos eróticos na internet vai cair no meu blog... que ta chêi chêi de contos eróticos (repetição da palavra pra dar ênfase na busca hehehehe)

maldito...

aí eu desci pra arrancar o ultimo suspiro de minha conta corrente para poder pagar a fonte que me alimenta todos os dias com o café da manhã e um bom dia alegre, pois bem, eu toda serelepe na frente do banco peço o valor R$ xxx,xx eis que o maldito em entrega R$ xx,xx. Maldição!!!!!!!!
consequências:
- milhares de pessoas amaldiçoadas pq esse impropério aconteceu justo comigo;
- outras milhares agonizando pq eu não paro de reclamar disso;
- uma ligação ultra-mega-blaster-combo grosseira (o que não é do meu feitio - quase nunca) para o atendimento do maldito, ordenando (isso mesmo, ordenando)que devolvam meu rico dinheirinho.
- mais uns dias sem quitar minha dívida, até que o banco devolda até o úlimo cents.

ps: pintei minha unha de vermelho... uaaaaaauuuuuu!!!!! (nada a ver, mas é algo inédito, tinha que falar e não ia postar só pra isso - futilidade demais)

04 junho, 2007

Chorei de rir !

Recebi esse depoimento por e-mail e pensei, essa merece uma postada.

"Tenta sim. Vai ficar lindo."

Foi assim que decidi, por livre e espontânea pressão de amigas, me render à depilação na virilha. Falaram que eu ia me sentir dez quilos mais leve.

Mas acho que pentelho não pesa tanto assim. Disseram que meu namorado ia amar, que eu nunca mais ia querer outra coisa. Eu imaginava que ia doer, porque elas ao menos me avisaram que isso aconteceria. Mas não esperava que por trás disso, e bota por trás nisso, havia toda uma indústria pornô-ginecológica-estética.


- Oi, queria marcar depilação com a Penélope.

- Vai depilar o quê?


- Virilha.


- Normal ou cavada?

Parei aí. Eu lá sabia o que seria uma virilha cavada. Mas já que era pra fazer, quis fazer direito.
- Cavada mesmo.
- Amanhã, às... Deixa-me ver... 13h?
- Ok. Marcado.


Chegou o dia em que perderia dez quilos. Almocei coisas leves, porque sabia lá o que me esperava, coloquei roupas bonitas, assim, pra ficar chique. Escolhi uma calcinha apresentável. E lá fui. Assim que cheguei, Penélope estava esperando. Moça alta, mulata, bonitona. Oba vou ficar que nem ela, legal. Pediu que eu a seguisse até o local onde o ritual seria realizado. Saímos da sala de espera e logo entrei num longo corredor. De um lado a parede e do outro, várias cortinas brancas. Por trás delas ouvia gemidos, gritos, conversas. Uma mistura de Calígula com O Albergue. Já senti um frio na barriga ali mesmo, sem desabotoar nem um botão. Eis que
chegamos ao nosso cantinho: uma maca, cercada de cortinas.


- Querida, pode deitar.

Tirei a calça e, timidamente, fiquei lá estirada de calcinha na maca.
Mas a Penélope mal olhou pra mim. Virou de costas e ficou de frente pra uma mesinha. Ali estavam os aparelhos de tortura. Vi coisas estranhas. Uma panela, uma máquina de cortar cabelo, uma pinça. Meu Deus era O Albergue mesmo. De repente ela vem com um barbante na mão. Fingi que era natural e sabia o que ela faria com aquilo, mas fiquei surpresa quando ela passou a cordinha pelas laterais da calcinha e a amarrou bem forte.

- Quer bem cavada?


- .é... é, isso.


Penélope então deixou a calcinha tampando apenas uma fina faixa da Abigail, nome carinhoso de meu órgão, esqueci de apresentar antes.
- Os pêlos estão altos demais. Vou cortar um pouco senão vai doer mais ainda.

- Ah, sim, claro.

Claro nada, não entendia porra nenhuma do que ela fazia. Mas confiei.

De repente, ela volta da mesinha de tortura com uma espátula melada de um líquido viscoso e quente (via pela fumaça).

- Pode abrir as pernas.

- Assim?


- Não, querida. Que nem borboleta, sabe? Dobra os joelhos e depois joga cada perna pra um lado.

- Arreganhada, né?

Ela riu. Que situação. E então, Pê passou a primeira camada de cera quente em minha virilha Virgem. Gostoso, quentinho, agradável. Até a hora de puxar.

Foi rápido e fatal. Achei que toda a pele de meu corpo tivesse saído, que apenas minha ossada havia sobrado na maca. Não tive coragem de olhar.
Achei que havia sangue jorrando até o teto. Até procurei minha bolsa com os olhos, já cogitando a possibilidade de ligar para o Samu. Tudo isso buscando me concentrar em minha expressão, para fingir que era tudo supernatural.

Penélope perguntou se estava tudo bem quando me notou roxa. Eu havia esquecido de respirar. Tinha medo de que doesse mais.

- Tudo ótimo. E você?

Ela riu de novo como quem pensa "que garota estranha". Mas deve ter aprendido a ser simpática para manter clientes.

O processo medieval continuou. A cada puxada eu tinha vontade de espancar Penélope. Lembrava de minhas amigas recomendando a depilação e imaginava que era tudo uma grande sacanagem, só pra me fazer sofrer. Todas recomendam a todos porque se cansam de sofrer sozinhas.

- Quer que tire dos lábios?

- Não, eu quero só virilha, bigode não.

- Não, querida, os lábios dela aqui ó.

Não, não, pára tudo. Depilar os tais grandes lábios? Putz, que idéia.
Mas topei. Quem está na maca tem que se fuder mesmo.

- Ah, arranca aí. Faz isso valer a pena, por favor.
Não bastasse minha condição, a depiladora do lado invade o cafofinho de Penélope e dá uma conferida na Abigail.

- Olha, tá ficando linda essa depilação.

- Menina, mas tá cheio de encravado aqui. Olha de perto.

Se tivesse sobrado algum pentelhinho, ele teria balançado com a respiração das duas. Estavam bem perto dali. Cerrei os olhos e pedi que fosse um pesadelo. "Me leva daqui, Deus, me teletransporta". Só voltei à terra quando entre uns blábláblás ouvi a palavra pinça.

- Vou dar uma pinçada aqui porque ficaram um pelinhos, tá?

- Pode pinçar, tá tudo dormente mesmo, tô sentindo nada.
Estava enganada. Senti cada picadinha daquela pinça filha da mãe arrancar cabelinhos resistentes da pele já dolorida. E quis matá-la. Mas mal sabia que o motivo para isso ainda estava por vir.

- Vamos ficar de lado agora?

- Hein?

- Deitar de lado pra fazer a parte cavada.

Pior não podia ficar. Obedeci à Penélope. Deitei de ladinho e fiquei esperando novas ordens.

- Segura sua bunda aqui?

- Hein?

- Essa banda aqui de cima, puxa ela pra afastar da outra banda.
Tive vontade de chorar. Eu não podia ver o que Pê via. Mas ela estava de cara para ele, o olho que nada vê. Quantos haviam visto, à luz do dia, aquela cena? Nem minha ginecologista. Quis chorar, gritar, peidar na cara dela, como se pudesse envenená-la. Fiquei pensando nela acordando à noite com um pesadelo. O marido perguntaria:
- Tudo bem, Pê?
- Sim... sonhei de novo com o cu de uma cliente.

Mas de repente fui novamente trazida para a realidade. Senti o aconchego falso da cera quente besuntando meu Twin Peaks. Não sabia se ficava com mais medo da puxada ou com vergonha da situação. Sei que ela deve ver mil cus por dia. Aliás, isso até alivia minha situação. Por que ela lembraria justamente do meu entre tantos? E aí me veio o pensamento: peraí, mas tem cabelo lá?
Fui impedida de desfiar o questionamento. Pê puxou a cera. Achei que a bunda tivesse ido toda embora. Num puxão só, Pê arrancou qualquer coisa que tivesse ali. Com certeza não havia nem uma preguinha pra contar a história mais. Mordia o travesseiro e grunhia ao mesmo tempo. Sons guturais, xingamentos, preces, tudo junto.

- Vira agora do outro lado.

Porra.. por que não arrancou tudo de uma vez? Virei e segurei novamente a bandinha. E então, piora. A broaca da salinha do lado novamente abre a cortina.

- Penélope, empresta um chumaço de algodão?
Apenas uma lágrima solitária escorreu de meus olhos. Era dor demais, vergonha demais. Aquilo não fazia sentido. Estava me depilando pra quem?
Ninguém ia ver o tobinha tão de perto daquele jeito. Só mesmo Penélope. E agora a vizinha inconveniente.

- Terminamos. Pode virar que vou passar maquininha.
- Máquina de quê?!
- Pra deixar ela com o pêlo baixinho, que nem campo de futebol.
- Dói?
- Dói nada.
- Tá, passa essa merda...
- Baixa a calcinha, por favor.
Foram dois segundos de choque extremo. Baixe a calcinha, como alguém fala isso sem antes pegar no peitinho? Mas o choque foi substituído por uma total redenção. Ela viu tudo, da perereca ao cu. O que seria baixar a calcinha? E essa parte não doeu mesmo, foi até bem agradável.

- Prontinha. Posso passar um talco?
- Pode, vai lá, deixa a bicha grisalha.
- Tá linda! Pode namorar muito agora.


Namorar...namorar... eu estava com sede de vingança. Admito que o resultado é bonito, lisinho, sedoso. Mas doía e incomodava demais. Queria matar minhas amigas. Queria virar feminista, morrer peluda, protestar contra isso. Queria fazer passeatas, criar uma lei antidepilação cavada.

31 maio, 2007

Da série Coisas

O bom filho à casa torna... ou será boa filha?!
Enfim... resolvi dar uma passada por aqui e atualizar pq afinal de contas eu mesma não suportava mais ver sempre a mesma imagem, daí que eu lembrei de uma história que aconteceu ja tem uns dois anos, mas tava lembrando disso esses dias.

Da série coisas que eu devo evitar falar...

Em 2005, eu trabalhava numa empresa de telemarketing e não podia atender telefone duranto o expediente. Ocorre que não só eu como todos os demais tínhamos nossos celulares e pra não perdermos as ligações colocávamos no modo silencioso, daí na hora do intervalo poderíamos retornar as possíveis ligações.
Bem, em um determinado dia eu recebi uma ligação e vi que se tratava de minha cunhada (uma pessoa deveras feliz... que está sempre sorrindo e bem humorada), logo eu pensei, mas ela!?! Me ligando?!?! Deve ter acontecido alguma coisa, melhor retornar a ligação.
Daí, na hora do intervalo assim o fiz.
- Oi fulana, vc me ligou???
- Minha cunhada!!!! Como vai?!?!? Quanto tempo!!! (isso com a maior voz de felicidade, tudo na mais perfeita normalidade, logo eu deveria retribuir da mesma forma)
- Pois é... e ai?!?! Quê que ta pegando, pra tu me ligar assim de tarde...
- E aí?!?! Ja soube do TíTonim?!?!?! (mantendo o mesmo nível de animação)
- Não! Quê que foi? Morreu??? (Aquelas piadinahs amarelas, quando alguem pergunta pela outra que a gente não tem notícias com frequência, mas tudo ainda mantendo o nível de animação - Niqui ela me responde com tom de admiração)
- Foi! Quem te contou???
- Mentira!!!! Fulana, eu falei de brincadeira... não era sério não. (totalmente consternada e mesmo chocada)
- Mas é verdade, morreu mesmo, foi hoje de tarde, vai ser enterrado amanhã.
- Menina... que coisa... (chocada)
- Então tá então, até mais cunhada! (retomando a animação inicial)

Bom... desse dia em diante, quando alguém me pergunta se eu soube de fulano, eu evito dar esse tipo de respostinha sarcástica, prefiro optar por coisas impossíveis (mas nem tanto) como "ganhou na mega" ou "ta grávida" (isso para as mulheres OBEVIÚ)

PS: a título de esclarecimento TíTonim era a forma "carinhosa" de chamar o namorado de minha outra cunhada, um senhor de uns 60 e qualquer coisa anos (ela tinha trinta e poucos na época do ocorrido), que tinha o apelido de Toninho, mas como ele ja era velhinho a gente chamava de Tio Toninho ou para os íntimos TíTonim.

25 abril, 2007

Eu e você
Não é assim tão complicado
Não é difícil perceber
Quem de nós dois
Vai dizer que é impossível
O amor acontecer
Se eu disser que já nem sinto nada
Que a estrada sem você é mais segura
Eu sei você vai rir da minha cara
Eu já conheço o teu sorriso, leio teu olhar
Teu sorriso é só disfarce
E eu já nem preciso
Sinto dizer
Que amo mesmo, tá ruim pra disfarçar
Entre nós dois
Não cabe mais nenhum segredo
Além do que já combinamos
No vão das coisas que a gente disse
Não cabe mais sermos somente amigos
E quando eu falo que eu já nem quero
A frase fica pelo avesso
Meio na contra-mão
E quando finjo que esqueço
Eu não esqueci nada
E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais
E te perder de vista assim é ruim demais
E é por isso que atravesso o teu futuro
E faço das lembranças um lugar seguro
Não é que eu queira reviver nenhum passado
Nem revirar um sentimento revirado
Mas toda vez que eu procuro uma saída
Acabo entrando sem querer na tua vida
Eu procurei qualquer desculpa pra não te encarar
Pra não dizer de novo e sempre a mesma coisa
Falar só por falar
Que eu já não tô nem aí pra essa conversa
Que a história de nós dois não me interessa
Se eu tento esconder meias verdades
Você conhece o meu sorriso
Leu no meu olhar
Meu sorriso é só disfarce
Por que eu já nem preciso
E cada vez que eu fujo, eu me aproximo mais . . .

fluuuuumineeeeeeense

Um dos melhores...

23 abril, 2007

Da série Coisas

Coisas que só acontecem no Radio Center:


13/03/2007 21:17

Sobre o Ed. Brasília Rádio Center


O ed. BsB Rádio Center, é um dos lugares onde você escolhe:

A) fazer um saque no caixa eletrônico do Banco do Brasil (inédito, dificil encontrar um num raio de 2mil Km, não deixe de conhecer);

B) fazer um saque na lotéria da Caixa Econômica Federal (outro ambiente raro);

c) fazer uma reserva, para uma viagem de negócios, ou de férias, ou sei lá... (como assim sei la?!?!)

d) enviar um "SEDEX", na agência do correiro; (não múmia!!! no bar do cunhado's)

e) fazer um lanche, equanto compra um óculos escuro...(a praça de alimentação é de uma vastidão que só vendo pra crer)

f) ou aproveitar para adquir um moderníssimo Microcomputador... (moderníssimo, computador, adquirir)

g) ou escolhe comprar uma roupa nova, enquanto aguarda o horário da consulta com o psicólogo, que tentará te acalmar para que você possa fazer sua consulta no dentista, agendada há meses... (uau... há meses... muitas lojas de infinitas marcas, preços e estilos, quase uma Oscar Freire)

h) e se de repente resolver compra um título de clube, trocar de apartamento, tirar o Pedigree de seu cão ou gato.... (Eldorado?!?!?)

Dê uma passadinha no Rádio Center, porque aquí você encontra até contador e advogado! (profissional muito dificil de se achar no mercado, não perca a oportunidade)

não acredita cliqui aqui


i) ou aproveitar para ver quantos foram assassinados no ultimo mês...

j) ou quem sabe ainda passear de elevador com o velho do croc-croc e sua belíssima senhora, também conhecida como velha bizarra...

k) ou também frequentar o renomado ristaurant do Chef Manoel's...

l) pode ainda se aventurar em ser quase esmagado pelo motor do elevador que cai subitamente no meio do corredor...

m) ou ainda ter o prazer de matar sua sede com uma boa e velha coca-cola em que a garrafa é entregue com cheiro de fígado cru...

e por aí vai...


essas e outras só BRC traz pra vc, pra todas as outras vá ao Brasília Shopping, Parkshopping, etc

18 abril, 2007

Da série Coisas


coisas que alegram o dia-a-dia das famílias

Americanos criam privada do futuro com TV e frigobar


ps: sei de pelo menos uma pessoa da minha família que ficaria maravilhado.

04 abril, 2007

Siri respondendo à pergunta cretina do Bial quanto ao beijo do Alemão.

Ai Limão... agora eu quero o milhão, ops... Ai milhão agora eu quero o Limão, quer dizer, é, veja bem... Ai Bial agora eu quero o Limão.

Eu adoro a Bôbo, e adorei a forma como eles editaram o programa para que assim eu gostasse do lemão e não do chato elevado a enésima potência do cowboy. A bôbo é tão legal pra nóise!!!

29 março, 2007

A proposito...

You Make Me Feel Brand New (tradução)
Simply Red
Composição: Simply Red

Meu amor
Eu nunca irei encontrar palavras, meu amor
Para te dizer como me sinto, meu amor
Simples palavras não poderiam explicar
Precioso amor
Você segurou minha vida em suas mãos
Criou tudo o que sou
Ensinou-me a viver novamente

Só você veio quando eu precisei de um amigo
Acreditou em mim nos bons e maus momentos
Esta música é para você
Cheia de gratidão e amor

Deus te abençoe
Você me faz sentir renovado
Por Deus ter me abençoado com você
Você me faz sentir renovado
Eu canto essa música porque
Você me faz sentir renovado

Meu amor, quando eu estava inseguro
Você me levantou e e me deu segurança
Você devolveu meu orgulho
Precioso amigo
Com você eu sempre terei um amigo
Você é alguém de quem posso depender
Para trilhar em um caminho que às vezes termina
Sem vocêMinha vida não tem sentido nem rima
Como as notas de uma canção desafinada
Como eu posso recompensar você
Por ter fé em mim....

Comando Estelar...

Era pra ser no dia do aniversário junto com o presente (retido), mas não ficou pronto a tempo. Não tinha impressora pra imprimir e eu como fazedor de festas surpresas e adjacencias me descobri uma tragédia, mas hoje consegui melhorar algumas coisas e aí está mais um pseudo-poema para Silvinha, desculpem-me os passantes, pela parcas palavras, mas é a vida.

Estrela

Astro incandescente
Estrela transparente
Passa incólume à grande massa de matéria existente no espaço sideral.

Em meio a astros de menor grandeza
Brilha sem maiores esforços
Tem luz própria. Brilha simplesmente porque é vive assim.

Eterna mutação de si mesma, supernova perpétua
Inventando-se, invertendo-se. Vem, passa e fica
Eterna mutação de mim mesmo.

Corpo celestial sagrado, profano
Esfinge, tudo vê, tudo sabe, tudo sente
Na velocidade da luz se veste de sol, se cobre de lua.

Profusão de luzes que ás vezes cega, mas por vezes fazem enxergar
Ilumina um céu, antes sombrio
Infinito até o fim.

Em sua órbita vago satélite. Amanheço ou anoiteço em função da face que vejo
Giro em torno de ti, acompanho teus movimentos
Inerte translação voluntária, simplemente quero estar, para sempre, sob o foco dessa luz.

Como um lunático estudioso, miro em ti, astro, meus olhos
Te observo, meticuloso, vejo suas nuances se espalhando suavemente no meu espaço
Te descubro, supreendo-me. Te amo.

27 março, 2007

Love songs... madrugada 105... a la Julio Iglesias

musga legal, show legal, cantor legal





Para ouvir e amar...

ps: próximo post a tradução. kkkkkkkkkkk

21 março, 2007

Second Life

então... fiz minha inscrição no second life, me chamo agora "Katarina Dyrssen", mas... devido às portas do conselho serem fechadas eu ainda, digo ainda pq em breve irei, não posso utilizar o tal programa da segunda vida. kkkkkkkkkk
Será que é vai dar certo????

16 março, 2007

...

Então eu me pergunto: O Gianecchini achou o pinto dele no lixo????

PS: dizer que pega o Giane hj em dia não é vantagem nenhuma, alias, pelo contrário, é se auto-denegrir.

09 março, 2007

Da série Coisas

Coisas que todo usuário deveria saber.

*Prezado Técnico,
Há um ano e meio troquei o programa [Noiva 1.0] pelo [Esposa1.0] e verifiquei que o Programa gerou um aplicativo inesperado chamado
[Bebê.exe] que ocupa muito espaço no HD.
Por outro lado, o [Esposa1.0] se auto-instala em todos os outros Programas e é carregado automaticamente assim que eu abro qualquer
aplicativo.
Aplicativos como [Cerveja_Com_A_Turma 0.3], [Noite_De_Farra 2.5] ou [Domingo_De_Futebol 2.8], não funcionam mais, e o sistema trava assim que eu tento carregá-los novamente.
Além disso, de tempos em tempos um executável oculto (vírus)
chamado [Sogra 1.0] aparece, encerrando abruptamente a execução de um
comando.
Não consigo desinstalar este programa. Também não consigo
diminuir o espaço ocupado pelo [Esposa 1.0] quando estou
rodando meus aplicativos preferidos.
Eu gostaria de voltar ao programa que eu usava antes, o [Noiva
1.0], mas O comando [Uninstall.exe] não funciona adequadamente.
Poderia ajudar-me?
Por favor!

Ass: Usuário Arrependido



RESPOSTA:

Prezado Usuário,
Sua queixa é muito comum entre os usuários, mas é devido, na
maioria das vezes, a um erro básico de conceito: muitos
usuários migram de qualquer versão [Noiva x.0] para [Esposa 1.0] com a falsa idéia de que se trata de um aplicativo de entretenimento e utilitário.
Entretanto, o [Esposa 1.0] é muito mais do que isso: é um sistema operacional completo, criado para controlar todo o
sistema.
É quase impossível desinstalar [Esposa 1.0] e voltar para uma versão [Noiva x.0], porque há aplicativos criados pelo [Esposa 1.0], como o [Filhos.dll ], que não poderiam ser deletados, também ocupam muito espaço, e não rodam sem o [Esposa 1.0].
É impossível desinstalar, deletar ou esvaziar os arquivos dos programas depois de instalados. Você não pode voltar ao [Noiva x.0] porque [Esposa1.0] não foi programado para isso.
Alguns usuários tentaram formatar todo o sistema para em seguida instalar a [Noiva Plus] ou o [Esposa 2.0], mas passaram a ter mais problemas do que antes (leia os capítulos "Cuidados Gerais" referente a Pensões Alimentícias e "Guarda das crianças" do software [CASAMENTO].
Uma das melhores soluções é o comando [DESCULPAR.EXE/flores/all] assim que aparecer o menor problema ou se travar o micro. Evite o uso excessivo da tecla [ESC] (escapar). Para melhorar a rentabilidade do [Esposa1.0 ], aconselho o uso de [Flores 5.1 ], [Férias_No_Caribe 3.2] ou [Jóias 3.3]. Os resultados são bem interessantes.
Mas nunca instale [Secretária_De_Minisaia 3.3], [Antiga_Namorada2.6] ou [Turma_Do_Chopp 4.6], pois não funcionam depois de ter sido instalado o [Esposa 1.0] e podem causar problemas irreparáveis no sistema.
Se você tivesse procurado o suporte técnico antes de instalar o [Esposa1.0] a orientação seria: NUNCA INSTALE O [ESPOSA 1.0] sem ter a certeza de que é capaz de usá-lo.
Agora..... Boa sorte!

08 março, 2007

Exausta

Essa é a melhor definição para o momento.

ps: parabéns mulheres esforçadas do meu Brasil varonil pelo Dia Internacional da Mulher (parabéns para as preguiçosas tbem).
ps²: alguém sabe quem raios inventou essa de Dia Internacional da Mulher??? A que propósito, razão ou circunstância?!?!?!?!

07 março, 2007

Coisas que eu gostaria de ser (?!)

Ahhh como deve ser bom ser esperta e inteligentona como minha "coleguinha" de classe.
Um caso raro da natureza humana... uma pessoa que tem a capacidade de tagarelar insanamente a aula inteirinha que Deus dá (atrapalhando todos os outros mortais que estão muuuuuuuito atrasados em suas vidas acadêmicas e querem correr atrás do tempo perdido = eu), se auto-eleger a representante de turma sem que a turma soubesse (sim, existe isso na minha faculdade, por incrível que pareça; e sim, é um curso de nível superior e não ensino médio), dizer que tem 16 anos (com uma cara e um bucho de 30) e achar o suprasumo da sabedoria (?!) saber que +*+=+ INCRÍVEL.
Como o-de-i-o minha "coleguinha" de classe. (eu não ligo para a separação das palavras e nem participo do soletrando, então pronto)

ps: vou me esforçar pra um dia chegar mais cedo e colocar no quadro (sem que ninguem veja é claro) uma integral completa e a palavra resolvam, so pra ver a reação da infeliz.... imagino que a primeira coisa deve ser perguntar: Professora, a senhora que colocou isso no quadro??!?! Pra que serve esse S?!?!?!?!?!?
Cala a boca Aniiimaaaaaaaallllllllllllllll!!!!!!

05 março, 2007

O pior...

o pior da faculdade, sem sobra de dúvidas, são os trabalhos em grupo.
Meu senso de individualismo me impede de ter um instinto de coleguismo para com o povo da minha sala.
ai ai ai

Oração do dia.

Toda mulher deveria nascer, obrigatoriamente, com o cabelo liso, escorrido, lambido e caindo no olho como as japonesas. Quem quisesse cachos, que fizesse permanente.

27 fevereiro, 2007

Frase do dia

Jesus Salva!!!














... e passa pra Moisés, que chuta e é gol! Goooooooooooolllllllllllllll!

Pra quem é de direito

Eu gosto do claro quando é claro que você me ama
Eu gosto do escuro no escuro com você na cama
Eu gosto do não se você diz não viver sem mim
Eu gosto de tudo, tudo que traz você aqui
Eu gosto do nada, nada que te leve para longe
Eu amo a demora sempre que o nosso beijo é longo
Adoro a pressa quando sinto sua pressa em vir me amar
Venero a saudade quando ela está pra terminar
Baby, com você já, já
Mande um buquê de rosas, rosa ou salmão
Versos e beijos e o seu nome no cartão
Me leve café na cama amanhã
Eu finjo que não esperava
Gosto de fazer amor fora de hora
Lugares proibidos com você na estrada
Adoro surpresas sem data
Chega mais cedo amor
Eu finjo que não esperava
Eu gosto da falta quando falta mais juízo em nós
E de telefone, se do outro lado é a sua voz
Adoro a pressa quando sinto sua pressa em vir me amar
Venero a saudade quando ela está pra terminar
Baby com você chegando já



Saudade imensa.

SACANAGEM ... a corrente

3 nomes pelos quais eu atendo:
1) Silvia
2) Silvinha
3) Maiêêêêê

3 nomes de "tela":
1) Silvia
2) Silvinha
3) ehhhhhh... só

3 Coisas que eu gosto em mim:
1) Senso maternal (?!)
2) Pouca atenção as pessoas sem importância
3) Disposição pra permanecer

3 Coisas que eu odeio/não gosto em mim:
1) Tolerância aos erros alheios
2) Senso aguçadíssimo de desistência
3) Preguiça

3 Partes da minha herança:
1) Portuguesa
2) Indígena
3) Brasileira

3 Coisas que assustam a mim:
1) Barata
2) Espírito
3) Solidão

3 Coisas essenciais no meu dia:
1) Dormir
2) Dormir
3) Dormir

3 Coisas que você está vestindo agora:
1) Calcinha
2) Vestido
3) Jaqueta

3 dos meu artistas/bandas favoritos (neste momento):
1) Chicletão
2) Chico Buarque
3) Maria Bethânia

3 das minhas canções favoritas (neste momento):
1) eu nunca sei nome de música

3 coisas que eu quero tentar nos próximos 12 meses:
1) Não desistir da faculdade
2) Passar num concurso bom (ruim eu ja tenho, não adianta)
3) Pagar as dívidas

Duas verdades e uma mentira: Qual é a mentira?
1) Eu ouço Racionais na Radio Uol
2) Já tomei glicose em hospital público
3) Já peguei demais um professor

3 Nomes de filhos:
1) João Marcelo
2) Natan
3) Cecília
PS: ja tenho um, acho que ja basta

3 Coisas que simplesmente eu não consigo fazer:
1) Acordar cedo disposta
2) Sentar com a coluna reta
3) Passar hidratante TODO DIA

3 dos meus hobbies favoritos:
1) Ler
2) Dançar
3) Escutar música

3 Coisas que eu quero fazer antes de morrer:
1) Conhecer a Europa
2) Conhecer o carnaval de Salvador no camaleão
3) Ficar rica

Agora, se eu respondi, quero que as pessoas que vou citar respondam também. Entenderam o título do post. Ahn, ahn??? :D
Lá vai... passo a peteca pra:

Nelson
Claudio

hehehe... evil evil!

22 fevereiro, 2007

Bônus do Pacotão

Bem, é valido lembrar que além do saldo informado, Silvia teve direitos alguns bônus...
1) Um passeio de maca no hospital de base;
2) Deixa pra lá...
3) Mandar uma velhinha que estava na frente do Sabor Brasil "tomar no ratiofly", depois que a velha resolveu dar pitaco na cachaçada;
3) Deitar... Despencar assustadoramente na calçada em frente do Sabor Brasil, com os olhos assustadoramente revirados;
4) Deixa pra lá...
5) Clamar pelo PRONTONORTE em pleno HRAN;
6) Deixa pra lá...
7) Deixa pra lá também...

Aliás a passagem pelo HARAN teve uma parte muito interessante. Estou conversando com o médico, Silvia numa cadeira de rodas (!) que era terrível de se pilotar, inerte. Nem se mexia. A gente falando dela e era como se ela não estivesse lá. Aí o médico me pergunta:
- Por quê você trouxe ela pra cá?
Que perguntinha safada! Pelas pregas! A pessoa estava apagada na frente dele, totalmente sem condições e o médico me pergunta isso! Pois eis que enquanto eu explicava as razões obvias, a pessoa começa a levantar lentamente a cabeça... Parecia cena de algum filme do Jason, quando ele leva umas cinquenta machadadas na cabeça e mesmo assim se levanta e prossegue a perseguição... Pois Silvinha ergueu a cabeça e deu uma olhada pro médico que me fez temer pela vida (dele). Fora a vontade de dar uma boa gargalhada.
E não é que ele receitou logo a glicose! Silvia, até combalida, tem os argumentos decisivos!

ps.: desculpe te decepcionar amor, mas o nome pacotão é uma homenagem a um dos pacotes econômicos da ditadura, mais precisamente no governo do Geisel. Mas isso não é do seu tempo.
ps2.: você não é um pacote, mesmo naquela condição, é um presente.
ps3.: nunca mais me ofereça seleta!!! Minha alma simplesmente não bate com essa bebida dos infernos! Quase que pago o master-mico do ano no meio do pacotão!

21 fevereiro, 2007

Por que Pacotão?!?!?!

Sempre que eu ouvia falar no bloco de carnaval, clássico em Brasília, chamado Pacotão, eu me perguntava qual era a desse nome. Pois bem, ontem eu descobri, na prática o que é pior... na real é pq os "foliões" terminam a festa só o pacote, no meu caso só o Pacotão. Entendeu?! Entendeu?!? Ãhn?!?! Ãhn?!?! Pacote, Pacotão!!!
Eu até poderia mudar o nome do meu blog pra algo do tipo "Nunca mais eu bebo" ou coisas do gênero, mas eu sei que isso não funciona mesmo, ainda mais que eu não quero morrer sem antes conhecer o carnaval de Salvador. Enquanto isso não chega... o saldo ficou em:

2 doses da pinga do Tio Bentim + 4 doses de Ypioca + 1 dose de Selecta + cerveja entre uma dose e outra = eu no HRAN, com 6 furos de agulhadas porque a enfermeira lazarenda não conseguia achar minha veia pra eu tomar soro e ir pra casa boinha boinha.

PS: e viva a quarta-feira de cinzas... o que vem após o status de cinzas????? Essa sou eu.

14 fevereiro, 2007

08 fevereiro, 2007

Ainda na sequencia dos vídeos "ai que saudade", o meu desenho predileto:



Não sabia nada do que era dito na abertura, mas cantava toda animada mesmo assim.

07 fevereiro, 2007

Ai que saudade da minha infância querida, da aurora da minha vida...

ritmo é pros fracos

Esse youtube é mesmo muito legal!!!




A dancinha do Chico é o melhor! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Especial atenção pro "pega rapaz" do Ministro.

Garimpo

musga legal + desenho legal = vídeo muuuuuuito legal.




adoro youtube
Por que a gente nunca faz as coisas do jeito certo??? A gente que eu digo é a humanidade num modo geral. Eu por exemplo, tenho mania de dar murro em ponta de faca (palavras de my modes). O pior é que eu sei disso, mas sempre nado contra a maré... só pq da mais trabalho. Que coisa!!!!

Seguir as coisas do jeito certo é tão mais fácil.

Questões que me assolam todos os dias:
- pq eu não estudei mais? Tava tão facil...
- pq eu não disse aquilo??? Ele merecia ouvir...
- pq eu não fiquei lá??? Agora não tem mais como...
- pq eu fui pra lá??? Eu não queria ter mudado tanto...
- pq eu fico aqui, assim????
- e finalmente, pq nesse axato momento, ao inves de tá aqui escrevendo asneira, eu não estou estudando, pra sair daqui, pra deixar de ser assim, pra não precisar dizer nada daquilo?????

- Por que? Por quê? Porque? Porquê?

Gueto dos Amigos - O retorno!

Bem... apesar de não ter conseguido manter a promessa de postar uma foto por semana, resolvi retomar hj.
Pra reabrir o quadro selecionei essa fotinha que caracteriza bem o que somos quando estamos juntas, ou seja, retardadas (porém felizes - tã tã tã eu sou feliz tã tã tã).
Brubles da esquerda pra direita: Dani, eu, Paulinha, Chris e Regi.
Bjs a todas!

06 fevereiro, 2007

Dúvidas?!?!?!

A resposta é: tchãnananananannnnnnnnnn

Carnaval do DF ja está a todo vapor.

MÊDÔ, muito medo!!!!! Mais trash impossível.


http://noticias.correioweb.com.br/materias.php?id=2698266&sub=Distrito

ãhnnnn... xô pensar...


Pergunta: Qual das notícias ao lado é capaz de gerar maior medo e mortificação ao internauta????

ehhhhh.... ãhnnnnn.... xô pensar...


ps: quando digo mortificação é de morrer mesmo!!!!

ps2: aguardo resposta nos comentários.

ps3: resposta... no próximo post. plim plim

05 fevereiro, 2007

Fasep (fa quem?!?!?!!?)

Novamente estarei frequentando uma sala de aula... de volta a faculdade.
Antes tarde do que nunca, e a faculdade, quem liga... o importante é o diploma.
Dessa vez há de dar certo.

29 janeiro, 2007

"Escrever é fácil. Você começa com uma maiúscula e termina com um ponto final. No meio, coloca idéias".
(Pablo Neruda)

Seria simples se não fosse complicado.

Clássico - não podia faltar. Devidamente creditada

TROCANDO DE BIQUINI SEM PARAR


Em tempos dantes navegados, 31 de março era celebrado na escola como o Dia da Revolução (sic) de 1964, e éramos obrigados a pintar bandeirinhas do Brasil e a cantar o Hino Nacional no pátio do colégio. Com as mãos encostadas no peito, soltávamos nossas vozinhas agudas em uníssono, repetindo mecanicamente uma letra hermética, como se isso fosse capaz de despertar ufanismo em alguém. Oras, é como esperar que um moleque de 11 anos vá criar gosto pela leitura depois de ser obrigado na escola a ler Iracema ou Eurico, o Presbítero. Mas, no meu caso, o Hino soava mais nonsense ainda. Porque, na maior das convicções pueris, eu cantava a seguinte pérola: "Elvira do Ipiranga às margens plácidas". Passei anos intrigado com o misterioso papel de Dona Elvira na proclamação da independência, especulando se não era um pseudônimo da Marquesa da Santos.

Anos mais tarde descobri uma expressão, aparentemente criada por Paulo Francis (na época do primeiro Pasquim), para definir essas ocasiões em que a cabeça da gente viaja longe e recria maionesicamente letras de música: "virundum". Inspirada, bobviamente, pelo fatídico verso inicial de nosso hino, que até hoje causa lapsos em patriotas incautos e jogadores da Seleção, ao cantarem coisas como "verás que um FILISTEU não foge à luta" ou "do que a terra MARGARIDA". Há uma expressão mais contemporânea: "dibikini". Originada por um velho hit do grupo Brylho, Noite do Prazer: "na madrugada vitrola rolando um blues/ tocando B. B. King (ou: trocando de biquíni) sem parar".

Os americanos também possuem um termo para isso: "mondegreen". Para que vocês vejam como a história é antiga, a expressão data de 1954, quando a jornalista musical Sylvia Wright confessou, em um artigo, que havia entendido "lady Mondegreen" no verso de uma canção que dizia "and laid him on the green". No site Kiss This Guy é possível encontrar mais de 2.500 exemplos de letras involuntariamente modificadas. Eye of the Tiger, a música-tema de Rocky, o Lutador, tornou-se "Ivan the tiger". Love in an Elevator, do Aerosmith, virou "loving an alligator". E daí pra pior.

Aqui no Brasil, o "mondegreen" mais hilariante que conheço foi descrito por Mário Prata. Uma amiga dele confessou que, ao ouvir Ciranda Cirandinha, entendia que o verso "o amor que tu me tinhas era pouco e se acabou" significava "o amor de Tumitinha era pouco e se acabou". Para ela Tumitinha era o diminutivo carinhoso de Tumita, um garoto japonês que se decepcionava demais toda vez que se deparava com a volatividade de suas paixões. Quando descobriu que o tal garoto não existia, sofreu pra burro. Parece que ela faz análise até hoje.

Uma grande "especialista" em virunduns é minha amiga Patricia Correia, a Sra. Pedro Vitiello. Que, ao cantar o tema do Sítio do Pica-Pau Amarelo, em vez de "bananada de goiaba, goiabada de marmelo", cometia: "banana a dar de goiaba, goiaba a dar de marmelo".

Outra amiga minha que repassou exemplos ótimos de virunduns é Maria João Amado, a mãe da Júlia. Repasso a palavra a ela:

"Eu tenho 2 músicas que juropurdeus que ouvia diferente: uma é 'Como Nossos Pais'. Naquela parte do 'contando o vil metal', eu entendia 'cortando fio dental'. :) E a outra é uma música de Luiz Gonzaga que diz: 'Luiz respeita Januário.../ Respeita os oito baixos do teu pai'. Eu entendia, e cantava: 'respeita os 'ovo baixo' do teu pai'. KKKKKKKKKKK

Tem uma outra historinha bonitinha de meu irmão mais novo. Um belo dia saímos em família para lanchar na McDonald's recém-inaugurada (isso foi em 87), e Jonga, meu irmãozinho, do alto dos seus 7 anos falava que os Beatles isso, e os Beatles aquilo. Meu Big Brother (irmão mais velho), já de saco cheio da falação, intimou:

- Você conhece os Beatles?
- Claro. Conheço muito.
- Ah, é? Então diga pelo menos 1 música deles.
- Fácil. Tilóptium!
(todos juntos) - O quê?
- Tilóptium!
- E que música é essa?
- Aquela... Tilóptium yeah, yeah, yeah..."


Vai, confessa aí: qual foi o pior "virundum" que você já cometeu? Compartilhe suas recriações musicais no espaço dos comentários...

(texto publicado originalmente em Pensar Enlouquece, Pense Nisto.)

Cocaine

Agora eu vi mesmo... o pobre homem não pode mais nem ser aviãozinho aos 60 anos pq se não abre um buraco no chão, ele cai e a pobre família ainda corre o risco de não receber nem um tostão.
Ai ai viu...

Aos portadores de papelotes de cocaína nos bolsos.
Cuidado mancebo... a qualquer momento poderá se abrir aos vossos pés um imenso buraco, pra não dizer uma verdadeira cratera, e você poderá morrer soterrado. Lembre-se que sua família poderá não ser indenizada totalmente porque vc está apenas pagando pelo que fez... ou seja, é sua máxima culpa cair no buraco, que abriu sozinho, e vc estará apenas pagando seus pecados. Se duvidar vão obrigar sua família a indenizar as demais vítimas, se houver.
Francamente!!!!


"... será uma situação interessante para o juiz analisar..."
Oxe... e tem o que analisar??? Faz diferença o cara ser o Papa ou Beiramar, já que o buraco abriu por culpa de terceiros, a família vai deixar de ganhar pq o cara fez isso ou aquilo?!?!?! Estudantes do Direito esclareçam please...

Ps: o crime realmente não compensa... poin poin poin poin poin

HÁ HÁ

huhauahuahuahauhauhauha
Seria trágico se não fosse cômico... debaixo de uma chuva sem fim que assola Brasília, volto a postar sobre uma notícia que vi e que de certa forma depertou meu ódio no coração ha tanto adormecido.

Idoso morre sufocado por prótese dentária

Eríssimo Borba Duarte estava com dificuldades para respirar.
Ele foi levado para hospital, em Campo Grande, mas não resistiu.
Na íntegra

Será que esse pobre velhinho não foi ensinado a colocar a bendita dentadura no copinho antes de dormir?!?!?!?! Agora eu entendo bem qual a real necessidade do copo. hahahahahahaha O que me fez lembrar um episódio da família Vaz de Caminha...
Certa vez o patriarca da família Vaz de Caminha, mais conhecido como "Véi", hoje também conhecido pelo inconfundível "Áaaai" (isso inclusive dá outra história), amanheceu o dia resmungando (como lhe era de costume), reclamando e praguejando (o que não era novidade pra ninguém) exatamento como o Zé Buscapé, grugrgaugrugraugurgaugraugruguagrua, e simultaneamente com a praguejação percebia-se que ele estava inquieto e vasculhando todo o quarto, o banheiro, enfim... a casa toda... nervoso (o que na verdade refletia seu estado natural), já deixando as pessoas à volta irritadas, porém curiosas, com aquela agonia e vucu vucu pela casa, quando a doce e tranquila matriarca pergunta com uma irritação e agonia que não lhe é muito característica: Oooohhh Véi antipático!!! O que é que tu tanto procura?!?!?!?!?!
Niqui ele responde em meios aos rabujos: grugaugruugruaugrugrgrgrgrgrg Perdi! Perdi! Que p*!
- Perdeu o que?
- A porcaria da dentadura!!!! Caiu! Caiu! Caiu da minha boca no meio da noite e agora não acho!!!! grahgurhauhgurhauhgurhauhaughurhuahga
- kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk vai véi miserento... nisso que dá chegar em casa bêbobosta... esqueceu de colocar a perereca no copo agora ta aí desdentado! (essas foram as palavras da adorável matriarca - sem tirar nem por - e saiu a ajudar na procura)
Enquanto isso... eu... ja acostumada com esse tipo de impropério logo pela manhã, me encaminho ao banheiro para o banho matinal rumo a universidade, quando de repente (ti ti ti ti ti ti ti - trilha sonora do psicose) me deparo com a dita cuja... no vazo... aff... no vazo sanitário... isso mesmo caros amigos.... que nojo... eca!!!! e a dúvida imperava: dar ou não dar descarga?!?!?!!??! eis que assolada por um espírito de bondade (mas nem tanto) resolvi chamar alguem e avisar:
- vóóóóóóóóóó, achei!!!!!!
E la foi ela... com uma peneirinha.... catar o que restou da dita cuja.... o pior é que o véi não queria nem deixar dar uma escaldada, ja queria colocar direto na boca porque tinha pressa em ir pro bar. É possííverrrrr um trem desse?!?!?!?!?

P: Como ela foi parar la??????
R: Era sabido que após chegar do boteco, tarde da noite, altamente embriagado, o tal que já não era mais nenhum garotinho, tinha por hábito se direcionar à "casa de banho" e despejar tudo o que lhe fazia mal... numa dessas a chapa deve ter ido junto. Blehhhhh!!!!
P: A dita foi avistada antes ou depois de usar o vazo?????
R: Não lembro.

22 janeiro, 2007

12 janeiro, 2007

Enquanto isso....

... em algum lugar de Aparecida de Goiânia... tem um côrno, manco, burro e obviamente goiano escutador de musga sertaneja, comedor de piqui, se regorjizando com o fato de ter 50 milhetas na conta... enquanto eu... continuo aqui, exatamente na mesma. Owww ódio!

O que só vem a dar mais crédito a isso, isso, isso e aquilo tbem.

Gueto dos Amigos II

Atualizando o Gueto dos Amigos...
Uma pessoa deveras especial. Se eu for contar aqui todas as histórias que ja passamos juntos, vai cansar meus dedos e não lembro de todas, mas a melhor é aquela que começa assim:
... no princípio era apenas amizade, tchananananananannnnnnnnn.... ta namorandô! tá namorandô!!! Agora hein... quem diria que chegaríamos a tanto. Faz parte! De amigo à namorido.

Teve aquela... estávamos nós apresentando uma peça de teatro no encontro de conversão de jovens na igreja (é... acredite se quiser no meu passado não tão distante consta isso), daí que eu era a Madame Kiki, Nelson era o He-man, Magal o Gato-guerreiro, Brenda a Batgirl. Em resumo a peça falava duma dona que chegava em casa e tinha um mendigo na porta dela, daí ela chamava alguns super-heróis para ajuda a tirar o dito cujo de lá (porque simplesmente não chamava a polícia? porque aí não ia ter a graça que tinha, principalmente nos nossos ensaios... eram tempos legais... ríamos horrores... piadas que só nós entendiamos, mas tudo bem, voltando...), daí que a madame falava no melhor estilo novela mexicana: Ohhh e agora quem poderá me ajudar?!?!?!?!?!?! - Eu!!!! Chapolim Colorado!!! - Você não! Saí que vc é super-herói de xicano pobre!!!! Oohhh e agora quem poderá me ajudar?!?!?!?!
Daí entrava cada um dos heróis, cada um tinha sua fala e tals... enfim chegava a hora do He-man entrar, pense em um negão de 2m² vestindo um shortinho roxo, usando uma espada de plástico, uma peruca loira liza, puxando um outro negão, esse um pouco menor, usando um maiô de oncinha, engateando como um "gato guerreiro", enfim, cena totalmente dantesca, mas aí.... conversa vai conversa vem, la pras tantas chega a hora de transformar o pacato em gato guerreiro, eis que o tal cai no chão estribuchando, se tremendo e babando, enquanto o He-man aponta a espada pra ele (altos efeitos especiais), daí... quando todos achavam que a cena tinha acabado, o cara continua la no chão estribuchando, nosso He-man não acha o que fazer e da-lhe uma chapoletada (daquelas de estralar alto e doer de verdade) com a espada nas costas do indivíduo: - Levanta daí nêgo miserável, que tu agora é pai de família!!!!! (de fato ele tinha sido pai recentemente e xilap nele).
A essa altura eu que ja estava me matando de rir da marmota saltando no chão de maiô de oncinha, quando ele tomou a espadada foi a gota que faltava (literalmente), me mijei toda de tanto rir. Por sorte eu tava do lado do banheiro, daí corri pra lá, é claro, tirei a meia calça amarelo ovo que eu tava usando e voltei pra cena, com o sapato de camurça vermelho cheio de pinguinhos de xixi. Um espetáculo.
Voltei. Nelson, o He-man em questão, irmão e filho amado, hoje meu esposo, pai de meu filho, não acha o que fazer e solta: Ué madame!?!?!? A Sra não tava de meia calça??? O que aconteceu???
Eu, vermelha, sem graça de todas as maneiras possíveis, dou uma risadinha amarela, quando a Batgirl emenda: Ela fez xixi na roupa (falando pra toda a platéia que até o momento não tinha se dado conta do ocorrido).
Bom... muito bom... passei o resto do encontro com a alcunha de mijona, com direito a côro no final do encontro. Mijona! Mijona!

Tudo bem... coisas do meu passado sórdido... inclusive uma das coisas que sinto saudades, pois foi uma época muito divertida. Damos risadas disso até hj.

Amor... apesar de ter te visto vestido de he-man, ter visto vc na "guerra", ter visto vc "daquele modelo" por diversas vezes, por incrível que pareça eu quis e, por mais incrivel ainda, não me arrependo. Te lovisu.
Pra que eu invento esse negócio de blog eu não entendo... morro de preguiça de postar, e ver assim tão atrasado da uma obrigação de postar alguma besteira qualquer.

Acho que vou atualizar so com um oi. Curto e grosso!

ps> assistindo Dr. Chapatin no Youtube. hehehehehheheh Que bom que a Cicaquenga não conseguiu o que queria. Youtube é tããããããão legal!

05 janeiro, 2007

Da série Coisas

da série Coisas:
Coisas que eu mereço:

Telefone do departamento pessoal toca, eu que estou do lado me sinto na obrigação de atender:
- Financeiro Silvia.
- Oi, quem é que ta falando?
- Silvia (ela não entendeu que parte?)
- Olha só.... é que... ãhn... (minha paciência a essa altura ja estava daquele modelo)... então... eu queria saber se eu ja fui convocada no concurso.
(maldita hora que eu puxei essa ligação)
- Qual o cargo? (esforço pra ser quase educada)
- Auxiliar de serviços gerais.
- Pois é. Esse cargo não tem vaga, se vc for convocada irá receber um telegrama. (e provavelmente saberá, não precisará ligar pra saber)
- Ah... vão me ligar então... e se eu não tiver em casa?
(é essa a parte que eu mereço - a pessoa deve achar que telegrama é a mesma coisa de telefonema, é nessa hora que preciso me conter pra não ser um pouquinho ignorante, algo que raramente acontece)
- A notificação é por telegrama, vai pra sua casa.
- Pelo correio?
(não anta! vai pelo cano do esgoto)
- É! Pelo correio.
- Vai demorar?
(ai caralho)
- Como eu ja disse, esse cargo não tem vaga, foi cadastro de reserva, isso quer dizer que não há previsão para convocação.
- Ahhhh então pode demorar????
(Eu mereço mesmo!!! Desligo ou não desligo? Desligo! Pah! tu tu tu tu)
Putaquelospare!

trim trim trim

- Financeiro, Silvia.
- Oi, eu tava falando aí agora a pouco e a ligação caiu...
- A ligação não caiu, fui eu mesma que desliguei, pq vc é uma anta que não entende que não será convocada pra essa porra nunca, cria vergonha na cara e vai estudar pra arrumar um emprego que preste, se bem que tapada desse tanto, duvido que consiga!
Pah! desliguei de novo.

(essa segunda parte é juros... mas bem que poderia ter acontecido... seria mais uma da série Coisas que eu deveria ter dito, ao invés de: é verdade, caiu a ligação, pois não, em que posso ajuda-la?)
Bleh!

Coisas

Coisas que eu deveria ter dito

- Você está demitida. D-E-DE, M-I-MI, T-I-TI, D-A-DA. DEMITIDA por todos esses meses de furtos, surrupios e pilantragens com minha pessoa. ao invés de: é, ãhn, então, eu coloquei meu filho na escola, daí que não vamos poder continuar com vc aqui, mas assim, não se ofenda, sem recentimentos, é porque não vai dar mesmo, mas nos gostamos de vc e do seu trabalho.
AI COMO EU SOU TROUXA!!!! MINHA NOSSA! E MENTIROSA TBEM!
- Ficou horrível!!!! Cola meu cabelo de volta agora!!! ao invés de: é... ficou legalzinho... tudo bem né... cresce de novo.
- Que porra! Que é que tu quer lazarento?!?!?! ao invés de: pois não?! em que posso ajuda-lo?

03 janeiro, 2007

Esclarecimentos

Esclarecemos a quem interessar possa que o ambiente dedicado aos amigos, ora denominado Gueto dos Amigos, será atualizado semanalmente com as melhores dos bons momentos passados com pessoas especiais, doravante conhecidos pela alcunha de amigos.

Apresento-lhes agora a protagonista desta semana, diga-se de passagem quem abre o quadro: Brenda Borges Domingos Araújo, ora conhecida como Sra. Araújo, haja vista que trata-se recentemente de Senhourinha casadoira.

Brendinha... eu... café cancun... copa 2006... muita muita muuuuuuuuuiiiita cerva. Ôôôhhhh festa bôa!!!! Ôôôhhhhh lugar legal!!!!!


ps: semana que vem haverá outro eleito.

ps2: interessados em ter suas fotos postadas e devidamente comentadas, favor encaminhar para esta que vos escreve para prévia avaliação e quem sabe 1 semana de fama.

Aí né...

Aí né, tem aquela da amiga dando carona pro amigo (quem sabe até um pretendente), rumo à Potênica do Sul (churrascaria de enorme qualidez em BSB), fazendo aquele trajeto de quem sai da Asa Sul e passa em frente ao Zoológico (não sabe onde? se vira e procura um mapa ou então o google earth), quando ela toda doce puxa assunto:
- Então fulaninho, aqui é o Zoológico, um lugar muito legal, tem um borboletário fandásdigo, inclusive eu vim tirar umas fotos pra um trabalho da faculdade, muito legal.
Ele, educadamente, como mamãe ensinou, dá continuidade ao diálogo:
- Poxa coleguinha, também adoro fotografia, mas sabe um coisa que eu adoro fotografar? (pausa, daquelas que gera ansiedade em quem quer saber) Perereca!!!
(silêncio, choque, medo - estavam só os dois no carro, vai que no fundo ele não é educadinho nem nada e sim um maníaco sexual que gosta de tirar fotos de pererecas - espanto, cara de dúvida no melhor estilo "ãhn"?!?!?!?!)
- É coleguinha!!!! Tirar foto de sapo, perereca e rã é muuuuuuuuuuuuuuuiiiito legal!!!!
(silêncio, choque, medo - estavam só os dois no carro, vai que fundo ele não é um maníaco sexual mas sim uma besta sem loção que gosta de tirar fotos de sapos - espanto, no melhor estilo "mas hein?!?!")

- Então... aquela papada do sapo quando respira... (e continuou até a maldita churrascaria que a essa altura nunca foi tão longe)

Deus... é difícil não pensar nisso, mas... pergunto: Algo poderá salvar o pobre mancebo??? Há ainda alguma possibilidade de ser promovido de amigo para pretendente?!?!?!?
Não, não... acho que não!

02 janeiro, 2007

ps3: será que o médico falou isso de que outras pessoas tbem tem só pra me tranquilizar??????
Ps 2: não tenho tumor, poréééééémmmmm.... tenho baço acessório.
Nem me pergunte do que se trata, pra que serve, nem porque ele está lá. Só sei que tenho e... segundo o médico... muitas pessoas na população mundial também têm, por isso... antes de pensar em caçoar de mim, melhor ir no médico e providenciar uma ultrasom abdominal superior.

Ano Novo...

Então... ano novo... e tudo continua na meeeeeeeeerrrrrrrrrrrrrrrrrma coisinha.
Pra não dizer que nada mudou, mudei de blog. Antes eu tava aqui agora estou aqui! Aqui mesmo onde vc ta lendo. Por isso... se quiser saber como eu era va ao invés de ficar aqui. Monólogo deveras produtivo.... na verdade o ano começou assim. Deveras produtivo.

Eu até poderia passar horas descrevendo como foi minha virada de ano, natal, etc, mas pra que não é mesmo!? passou.... agora vamos falar somente de coisas que ocorrerem daqui por diante.

Por hora... nada mais a contemplar nesse primeiro dia útil do ano de 2007.

ps: não tenho tumor nenhum... pelo menos não no estômago. Falta conferir na cabeça. Não entendeu?! Clique aqui.